Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Vetores da Inutilidade

Poesia, Atualidade, Crítica, Opinião, Artes e Cultura. Um blog por João M. Pereirinha

Vetores da Inutilidade

Poesia, Atualidade, Crítica, Opinião, Artes e Cultura. Um blog por João M. Pereirinha

Instigação do Jeito

 

Tudo serve de inspiração

Quando se tem uma caneta à mão.

Basta escrever o que vai na alma,

 

Não ter pressa e fazer tudo com calma,

Depois as rimas e os versos saem

Tranquilamente. As palavras caem

Sobre a folha, libertas do pensamento

 

E ansiosas por serem lidas.

Estas formam poemas que, no momento,

Espelham mensagens a serem retidas.

A alma de um poeta é como uma ferida

Que jorra litros de memórias,

Sentimentos lutas, amadurecidas,

Mas que não se conseguem estancar.

Deita tudo cá para fora, tristezas e glórias,

 

Alegrias e derrotas já vividas.

Por dentro dói, mas não para de jorrar.

 

João Pereirinha

09.06.10

Comentar:

Mais

Comentar via SAPO Blogs

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.