Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Vetores da Inutilidade

Poesia, Atualidade, Crítica, Opinião, Artes e Cultura. Um blog por João M. Pereirinha

Vetores da Inutilidade

Poesia, Atualidade, Crítica, Opinião, Artes e Cultura. Um blog por João M. Pereirinha

Reencontro

 

Com os pés gelados

Da água do mar

Continuo a caminhar.

Olha p’ra todos os lados

Na esperança de encontrar

 

Um sinal claro de ti aqui.

Não os há. De ti,

Ou alguma semelhança,

Nada consigo vislumbrar,

Mas, continuo, na esperança

De te reencontrar,

Quem sabe, mais adiante,

Numa onda espumante

De sentimentos e momentos

Bem assados no areal.

Na barreira do real e irreal,

 

Confundo visões e pensamentos

Com a paisagem à minha frente,

Mas continuo. Fiel e crente

De que te irei encontrar,

Seja na areia ou no mar,

A nadar ou na toalha a bronzear

O corpo ou a ler uma revista…

Enquanto tiver olho, e à vista

Um horizonte, a minha conquista

Só terminará num pôr-do-sol radiante,

Contigo a meu lado, como amante,

E o mar como testemunha ocular

Do amor que a areia suportar.


João Pereirinha

14 de Junho de 2010

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.