Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Vetores da Inutilidade

Poesia, Atualidade, Crítica, Opinião, Artes e Cultura. Um blog por João M. Pereirinha

Vetores da Inutilidade

Poesia, Atualidade, Crítica, Opinião, Artes e Cultura. Um blog por João M. Pereirinha

Os dois A's

 Nan Goldin 


 

Por mais que me esforce, não sei dizer

O que é realmente a amizade,

Muito menos o amor.

Nem sei, a boa verdade,

Se são coisas diferentes de descrever.

Embora procure, sem pudor,

Respostas em várias direções

A única coisa que consigo

São sempre mais interrogações.

Sei que são tão bons para o amigo

Como úteis para o inimigo

E, de igual forma nos fazem sorrir

Como nos podem destruir.

São múltiplos e variados

E também nos fazem sentir,

Muitas vezes, desajustados.

É redutor dizer que são complicados!

Dos dois já me embebedei

E tenho também ressacado,

Continuando sem saber onde comecei

E onde ficou tudo acabado.

Tenho lido muitas definições conceitos,

Lido romances e analisado feitos.

A conclusão a que chego é nenhuma

Ficando apenas a bruma

Característica da incerteza.

Há quem ame por beleza

E há os amigos incondicionais,

Tudo coisas irracionais

Mas, no fundo, tão naturais.

Este poema o que acrescenta?

É só uma merda sem sentido,

Palavras em fundo perdido

Mais inúteis que uma ementa.

 

João Miguel Pereirinha, 10 de Maio de 12

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.