Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Vetores da Inutilidade

Poesia, Atualidade, Crítica, Opinião, Artes e Cultura. Um blog por João M. Pereirinha

Vetores da Inutilidade

Poesia, Atualidade, Crítica, Opinião, Artes e Cultura. Um blog por João M. Pereirinha

Beijos

Cada beijo que lhe dou
na sua face suave
é como um sonho, onde nada mudou
onde sou uma ave,
onde voamos os dois
onde os problemas ficam p’ra depois.

 

 

 

Bebé ainda estou apaixonado
e a sua visão
ainda me deixa baralhado,
por vezes atrapalhado
sem reflexo nem reacção
começo a desesperar…
Não podíamos novamente
voltar a beijar
e ficar juntos eternamente?

 

 

 

Por mais suaves
que sejam
estes beijos que damos,
são para mim como elegantes aves
cheias de vaidade
e grandiosidade,
lobos que me bafejam,
me dão medo
e dizem em sebredo:
são bons momentos
onde deixamos fluir os pensamentos,
Bebé, porque nos amamos!

 

 

 

16.11.2007

 

João Pereirinha

Comentar:

Mais

Comentar via SAPO Blogs

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.