Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Vetores da Inutilidade

Poesia, Atualidade, Crítica, Opinião, Artes e Cultura. Um blog por João M. Pereirinha

Vetores da Inutilidade

Poesia, Atualidade, Crítica, Opinião, Artes e Cultura. Um blog por João M. Pereirinha

DESINFORMAÇÃO DEGRADA O DEBATE PÚBLICO

© Vasco Gargalo

A desinformação é uma das principais estratégias de movimentos populistas ou extremistas, como aqueles que começaram a surgir um pouco por todo o mundo, explorando a violência da ignorância, disseminada em comportamentos de matilha. 

 

Dizer que o Livre, BE e PCP são extrema-esquerda é uma invenção. Em termos de teoria política, no máximo podiam ser enquadrados dentro daquilo que se chama a "Esquerda Radical", por nascerem de movimentos e/ou serem defensores do Estado Social, na altura com pouca estrutura, mas nenhum deles pede uma revolução anti-capitalista, ou sequer o fim do capitalismo como um todo, mas sim uma sociedade de caris socialista e democrática, e sobretudo BE e PCP são hoje partidos estruturados e consolidados na Democracia. Sobre isso recomendo a leitura de "A Esquerda Radical em Portugal e na Europa, Marxismo, Mainstream ou Marginalidade?", de André Freire e Luke March. 

 

Além disso, no caso do PCP, eles não só aceitaram as regras democráticas e a Constituição (há mais de 40 anos) como antes lutaram, na clandestinidade, para que hoje todos tenham acesso à opção de escolha, à liberdade de expressão ou à política em geral. Pese embora a omissão face a regimes de outros países. Porém, não existe comparação política capaz de meter no mesmo patamar quem quer igualdade económica por iniciativa legislativa e através da regulação da economia, como PS, Livre, BE e PCP, com quem quer expulsar cidadãos portugueses para "a terra deles" com base na religião, grupo étnico ou classe social e ascendência familiar. Isso é apenas intolerância.

 

Por outro lado, nem o problema de Portugal são os ciganos, os negros ou os estrangeiros, como também não o são nos EUA, no UK e na França, como no Brasil também não o são os índios ou os gays, nem os favelados. Talvez o problema seja mesmo gente que quer instalar-se no Estado para retirar direitos, liberdades e garantias a quem os conquistou justa e pacificamente. 

 

É isto que estes populistas fazem, vindos do ovo da serpente, que um pouco por todo o mundo nasceram na extrema-direita, fascista, misógina, racista e xenófoba: intoxicam o debate, inventam mentiras que transformam em factos e dizem que os factos e a verdade que lhes são contrários não passam de opiniões. A polarização é inevitável. No final andamos a discutir coisas como se a Terra é plana ou se o nazismo é de esquerda.

 

Pessoas assim não procuram ajudar ninguém a não ser a si próprias. Eles não se importam com nada nem com ninguém em especial, apenas encontram um bode expiatório dentro de um grupo social específico, habitualmente discriminado, por ignorância e preconceito, do qual se aproveitam para cavalgar mediaticamente nas intenções de voto, com o propósito de implementar um modelo social racista, xenófobo, discriminante, totalitário e opressor, como aquele contra o qual se lutou durante cinquenta anos. 

 

Eu percebo o descontentamento, não entendo a cegueira. Édipo arrancou os próprios olhos ao perceber a barbaridade que tinha feito com a própria família, quando as pessoas perceberem o que fizeram com a democracia espero que o arrependimento não seja tão grande.

Ilustração © Vasco Gargalo 

Comentar:

CorretorEmoji

Comentar via SAPO Blogs

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.