Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Vetores da Inutilidade

Poesia, Atualidade, Crítica, Opinião, Artes e Cultura. Um blog por João M. Pereirinha

Vetores da Inutilidade

Poesia, Atualidade, Crítica, Opinião, Artes e Cultura. Um blog por João M. Pereirinha

Meu querido amigo Brasileiro, este texto é para ti

Ribs Governo Bolsonaro.jpg

Meu querido amigo brasileiro, este texto é para ti. É para ti, para a tua família e para os teus amigos. É para ti que estás em casa, ou que sais à rua para trabalhar, de máscara e mantendo o distanciamento. É para ti que perdeste alguém. É para ti que tens medo de morrer. É para ti que votaste em Bolsonaro e te arrependeste, mas também para ti que não votaste nele, e para quem também não votou no PT, ou para quem nem sequer foi votar. Este texto é para ti porque precisamos de salvar o Brasil e os Brasileiros. E para isso, precisamos da indignação de todos!

 

Precisamos da indignação de todos contra tudo aquilo que o governo de Bolsonaro representa. Da Indignação contra os mais de 20 mil mortos de Covid-19! A indignação contra o avanço da infeção, com mais de 340 mil infetados, perante a total ausência de um plano de contenção unificado! Precisamos da indignação de todos os que estão horrorizados com a política da morte.

 

Precisamos da indignação e solidariedade de todos os que se horrorizam com o teor fascista da reunião ministerial revelada recentemente. E precisamos de nos horrorizar e rejeitar esse mesmo conteúdo. Precisamos de deixar claro que nada do que foi dito naquele espaço é aceitável ou natural. Não é natural nem aceitável que se queira armar as pessoas para combater o isolamento social, propagando o vírus e levando à morte de milhares de pessoas; não é normal discriminar e atacar povos indígenas, ciganos, quilombolas e mulheres, porque todos eles são brasileiros e a sua cultura e existência fazem parte da génese que construiu a identidade e a diversidade do país, por isso, não é normal querer assimilar e diluir as suas vivências e lutas, nós devemos lutar com eles e por eles; não é normal querer vender as riquezas do país, inclusive o Banco do Brasil, sobretudo num momento em que tanto precisamos delas para ajudar todos os brasileiros, e não é normal querer salvar apenas as grandes empresas e deixar morrer as pequenas, pois elas são o verdadeiro motor da economia, juntamente com todos os trabalhadores, formais e informais, que todos os dias arriscam a vida e dão o seu melhor para fazer o seu trabalho, inclusive agora; não é normal que se queiram prender juízes do STF, ou governadores e prefeitos, seja porque tomaram medidas que têm ajudado a salvar vidas, seja por que colocam freios nas irregularidades de quem nos quer tirar a vida; e num momento em que tantos já partiram e todos sentem a dor dessas mortes, não é normal que alguém queira aproveitar a Pandemia para aprovar leis de desmatamento, que favorecem quem comete crimes ambientais e crimes hediondos contra os povos que protegem a Amazónia e defendem uma das maiores riquezas da humanidade. Não é normal defender as mortes, a tortura e os horrores da Ditadura Militar! Por mais absurdo que seja, o fascismo de todas estas declarações violentas não pode ser normalizado! O ódio não é normal!

 

Não é normal um presidente querer formar milícias armadas, dizer que tem uma “inteligência pessoal”, afundado em teorias da conspiração, e que queira usar o estado para proteger a família. Não seria normal nunca, muito menos durante a pior Pandemia dos últimos cem anos.

 

Precisamos de unir esforços contra esta lógica da barbárie, que não respeita a vida, que se refugia na mentira e na violência para nos dividir, para projetar a asfixia da democracia, da diversidade e da liberdade. Precisamos da união de todos os que não estão dispostos a aceitar a ausência de todos os que o governo quer matar. Precisamos de construir uma onda que se oponha à omissão, ao imobilismo e ao medo que tudo isso projeta em nós, sempre que ligamos a televisão ou lemos notícias. Precisamos de afirmar que o problema não são os brasileiros, mas sim o fascismo no qual uma ínfima parte se refugia. Temos que ter a força e a coragem de nos afirmar como antifascistas!

 

Por isso, meu querido amigo brasileiro, tu, a tua família, os teus amigos, os que votaram em Bolsonaro ou não, os que votaram à esquerda ou à direita, tu que acreditaste na mudança, tu que ainda não acreditas em nenhum projeto político, tu que ainda acreditas na ciência, tu que queres o “fora Bolsonaro”, e tu que sabes que o impeachment não vai ser fácil nem cair do céu, ou resolver tudo, tu que tens medo de sair à rua, tu que não podes ficar em casa, e tu que perdeste o emprego, tu que nunca falaste de política e tu estás indignado: precisamos de ti, meu amigo brasileiro! Precisamos da tua voz, da tua fala, do teu protesto e da tua força, para que a nossa força incuta medo àqueles que nos querem intimidar, calar, reprimir e deixar morrer! Precisamos de fazer a casa cair! Precisamos da tua solidariedade para construir uma solução futura!

 

Precisamos de mudar o Brasil antes que o Brasil nos mude ou mate!

 

Ilustração de Matheus Ribs.

Comentar:

Mais

Comentar via SAPO Blogs

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.