Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Vetores da Inutilidade

Poesia, Atualidade, Crítica, Opinião, Artes e Cultura. Um blog por João M. Pereirinha

Vetores da Inutilidade

Poesia, Atualidade, Crítica, Opinião, Artes e Cultura. Um blog por João M. Pereirinha

Racismo

20200727_132618_0000.jpg

Oh, Portugal

Terra sem igual,

Onde se tornou banal

Expulsar o desigual.

É o racismo estrutural.

 

É o ódio repetido

De geração em geração

Até à exaustão.

É sempre o mesmo atingido,

Até cair no chão.

É o reflexo da escravidão.

 

Racismo? Aqui não!

Dizem os senhores doutores, 

Donos da opinião,

Que nunca sentiram as dores

Da bala no coração.

É a segregação feita por cores.

 

Oh, Portugal,

Que jogas no escuro,

De forma tão frugal, 

Os mesmos corpos negros

A quem negas o futuro,

Em nome de valores íntegros.

É o ufanismo puro.

 

Oh, Portugal,

Um país tão seguro,

Onde reina tanto mal,

Que usa sempre a desculpa

De punir o corpo impuro

Pra matar quem não tem culpa:

É o machismo, o racismo,

A homofobia e o fascismo

Desses filhos da puta!

 

Mas também é a cegueira

De quem tapa o sol com a peneira

E não vê a merda à sua beira, 

Ou quer tudo da mesma maneira.

Que ardam todos na fogueira!

 

— João M. Pereirinha, 26/07/2020.

Comentar:

Mais

Comentar via SAPO Blogs

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.